| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

MARCENARIA ON-LINE
Desde: 02/06/2004      Publicadas: 19      Atualização: 26/06/2004

Capa |  cursos  |  dicas sobre ferramentas  |  dicas sobre matéria prima  |  editorial  |  segurança  |  serviços de marcenaria


 dicas sobre ferramentas
  13/06/2004
  0 comentário(s)


TRABALHANDO COM A TUPIA
A tupia é uma máquina destinada principalmente à confecção de molduras. Além disso, podemos também fazer rebaixos e ranhuras (rasgos) diversos.
Os componentes principais da tupia são:

Paralelo – semelhante ao paralelo da serra circular, serve de apoio quando trabalhamos com peças retas. O paralelo determina quanto do pião irá ficar exposto (para fora). Quando trabalhamos com peças curvas ou fazemos rebaixos internos em portas já montadas, há a necessidade de se trabalhar com o pião livre (sem o paralelo), o que torna o trabalho um pouco mais arriscado.
Volante de regulagem – tem a função de abaixar e levantar o pião conforme a necessidade do serviço.
Trava – todas as tupias têm um dispositivo (pino) que permite travar o eixo para possibilitar a remoção do pião, bem como fixação e troca dos ferros e fresas.
Pião – é a parte da tupia onde são fixados os ferros e as fresas, (geralmente há um pião para ferros e outro para fresas ). O ferro deve ser introduzido na abertura do pião, logo a seguir devemos apertar o parafuso de fixação e imediatamente depois a contra-porca (obrigatoriamente nesta ordem),não devemos nos esquecer que o chanfro do ferro deve estar voltado para trás. Antes de ligar a máquina certifique-se que o eixo esta destravado caso contrário o impacto poderá causar danos ao motor. (veja os desenhos)

Quando iniciar o serviço, caso esteja trabalhando com o pião livre, comece a uns 10cm para dentro da extremidade da peça que estiver emoldurando,encoste-a no pião em movimento e puxe-a lentamente para trás até a ponta , feito isto empurre-a normalmente e conclua o trabalho. Esse procedimento é necessário pois se você colocar logo de inicio a ponta da madeira de encontro ao ferro será difícil segurar o impacto e há ainda o risco do pião desviar a madeira puxando-a no sentido de sua rotação podendo ferir o operador.,caso se esteja trabalhando com o paralelo o risco é menor.
Outro aspecto importante a ser observado é que a moldura não tem necessariamente que ser feita de uma só vez, caso os detalhes sejam muitos, ou a profundidade do rebaixo a ser feito seja grande, faça o serviço por etapas, esse controle pode deve ser feito afastando-se gradualmente o paralelo do pião após cada passada da madeira
Evite ao máximo possível trabalhar com as mãos muito próximas ao pião, segure a peça com firmeza, trabalhe com máxima atenção e use equipamentos individuais de proteção. É importante que o ferro esteja bem afiado caso contrário a trepidação será maior, acabamento da moldura será imperfeito, serão também maiores os riscos à segurança.
Para trabalhar com as fresas, o processo é semelhante ao anteriormente explicado. Os piões para fresa possuem ao invés de um rasgo vários anéis que são utilizados não somente para a fixação das mesmas (fresas) bem como para auxiliar na regulagem da altura delas em relação à mesas da tupia. Você também pode utilizar as fresas com ou sem o paralelo, dependendo do tipo de serviço. Rebaixamentos internos normalmente só podem ser feitos com ferro.
Quando trabalhamos com ferros ou fresas, é aconselhável que os mesmos sejam posicionados de forma que cortem a madeira sempre por baixo, isso aumenta a segurança pois além de diminuir a possibilidade de contato das mãos com estes dispositivos em movimento, caso o ferro quebre ou solte, a madeira estando por cima servirá de anteparo.(veja no desenho)
Posicionamento do ferro ou da fresa em relação à madeira.

Ainda com relação aos ferros, eles podem ser feitos pelo próprio marceneiro, para isto são necessários uma peça de aço (muitos usam molas de caminhão), esmeril com rebolos apropriados e limas compatíveis com o formato requerido para o ferro, é importante lembrar que o ferro deve ser temperado depois de confeccionado, caso contrário o corte não se manterá por muito tempo e haverá dificuldade em se trabalhar com madeiras duras,o ideal é mandar confeccionar numa firma especializada.
Com relação às fresas, você deve adquira-las de acordo com o tipo de moldura que deseja fazer. As fresas são mais seguras que os ferros, mais duráveis e possuem um corte muito melhor no entanto são muito mais caras.
Além do paralelo algumas tupias trazem acessórios auxiliam na fixação da madeira (molas), o marceneiros também pode elabora-los de madeira, inclusive fazer gabaritos que auxiliam no serviço, aumentando a produtividade e proporcionado maior segurança


  Mais notícias da seção ferramentas no caderno dicas sobre ferramentas
26/06/2004 - ferramentas - MÁQUINAS ESTACIONÁRIAS I
TRABALHANDO COM A TUPIA A tupia é uma máquina destinada principalmente à confecção de molduras. Além disso, podemos também fazer rebaixos e ranhuras (rasgos) diversos. ...
03/06/2004 - ferramentas - UM SERROTE QUE CORTA
Para exercer qualquer ofício é necessário saber como utilizar eficientemente as ferramentas apropriadas. Nesta seção apresentaremos algumas ferramentas e explicaremos como utiliza-las. ...



Capa |  cursos  |  dicas sobre ferramentas  |  dicas sobre matéria prima  |  editorial  |  segurança  |  serviços de marcenaria
Busca em

  
19 Notícias